Imprimir

Ministério da Saúde acompanha Vida no Trânsito em Curitiba

em 11 Abril 2019. Postado em Notícias

00256621A equipe multisetorial da Prefeitura que integra o Programa Vida no Trânsito (PVT) recebeu a visita de uma representante do Ministério da Saúde nesta quinta-feira (11/4). Monitora do PVT pelo governo federal, Marta Malheiros participou da reunião mensal de avaliação dos trabalhos, com a participação de entidades da sociedade civil.

Durante a reunião foram debatidos a estruturação do plano de ação municipal do PVT a ser colocado em prática até 2020 e o panorama do que foi desenvolvido no último ano. “A divulgação dos dados compilados referentes a 2018 está prevista para o final do próximo mês, quando ocorre o Maio Amarelo”, afirmou a coordenadora do PVT pela Secretaria Municipal da Saúde, Anna Rosa Rissatto Ruzyk.

Para a representante do Ministério da Saúde, é fundamental trazer as atividades que foram realizadas em determinado período para análise dos impactos e para definição das próximas ações. E destacou o trabalho conjunto. “Esse senso de pertencimento é importante ao programa e para alcance dos objetivos macro. Sem a participação dos diferentes atores e instituições, não tem como evoluir”, disse Marta.

Participaram do encontro representantes da Setran, da Guarda Municipal, das secretarias municipais de Educação e da Saúde, além do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), Sistema Fiep, Agência Nacional em Mobilidade (Anamob) e da Consultoria Mobilidade Segura.

A superintendente municipal de Trânsito, Rosangela Battistella, anunciou o Fórum Paranaense de Mobilidade, que está sendo organizado para o fim de maio em Curitiba. Já os setores de engenharia e de fiscalização de trânsito apresentaram as vertentes de atuação a serem colocadas em prática, como blitze específicas e implantação de nova sinalização.

Membro do Mobilidade Segura, Cassiano Ferreira Novo elogiou as ações integradas entre agentes de trânsito e guardas municipais nas blitze rotineiras na cidade. “Houve também uma evolução, com a volta da utilização dos radares estáticos para fiscalização da velocidade”, destacou ele.

Instituição do programa

O Vida no Trânsito começou como projeto e evoluiu para programa. “Um projeto tem começo, meio e fim. O programa está inserido e consolidado, com continuidade de ações”, explica Anna Rosa.

Voltado para a vigilância e prevenção de lesões e mortes no trânsito e promoção da saúde, o PVT tem a participação de diversos municípios brasileiros, integrados a um desafio da Organização das Nações Unidas (ONU) para redução no número de mortes e feridos nos acidentes de trânsito em 50% até o ano de 2020.

Tem como foco das ações a intervenção em dois fatores de risco priorizados internacionalmente: a associação entre bebida alcoólica e direção e o excesso de velocidade. Há outros dois focos de atuação determinados localmente com base nos dados: motociclistas e pedestres.

A comissão local de análise dos dados é responsável pela identificação de fatores, condutas de risco e perfil das vítimas, para subsidiar ações em três eixos: educação, engenharia e fiscalização.

 

00256620

Divulgação

  • Compartilhe: