Imprimir

Saiba quando ligar para o telefone 199 da Defesa Civil de Curitiba

em Sexta, 05 Janeiro 2018 18:10. Postado em Notícias

Neste período de verão, junto com as altas temperaturas e o sol forte, são comuns intensas pancadas de chuva, com vendavais e grande acúmulo de água. Pedidos de auxílio em casos de chuva forte, inundações e alagamentos podem ser feitos pela população diretamente pelo telefone de emergência 199, da Defesa Civil.

Em Curitiba, a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil é o órgão responsável por atuar diretamente com os desastres, com ações desenvolvidas antes, durante e depois do registro das ocorrências.

“Nosso principal objetivo é a redução de riscos e do impacto de fenômenos naturais na cidade, atendendo a população da forma mais rápida possível em momento de necessidade”, explica Marcelo Santos, coordenador de Projetos da Defesa Civil de Curitiba.

De forma articulada, o trabalho da Defesa Civil abrange ações de prevenção (atividades de orientação e educativas), mitigação (diminuição ou limitação dos impactos), preparação, resposta (socorro imediato e assistência inicial à população atingida) e recuperação (restabelecimento da normalidade).

“Para que os resultados sejam positivos, é necessário o envolvimento dos mais diversos setores municipais, estaduais e federais, além de ampla participação da comunidade. Por isso, focamos muito no repasse de informações básicas sobre como proceder nas mais variadas situações e na capacitação das pessoas que farão o primeiro atendimento à população atingida”, aponta Santos.

Central de ligação

Até o final de 2017, o telefone 199 tinha uma central única para todo o Paraná. Agora, as ligações são recebidas diretamente no Centro de Operações da Defesa Social (Cods) de Curitiba, com plantão 24 horas, todos os dias. “Desta forma, é possível dar ainda mais agilidade ao atendimento prestado em caso de emergências”, argumenta Santos.

Como agir

Em caso de pontos de inundação, a Defesa Civil deve ser comunicada imediatamente pelo telefone 199. “O fundamental é proteger a vida. Os bens podem ser retirados em um segundo momento, com o auxílio de profissionais capacitados”, orienta Santos.

Documentos e objetos de valor devem ser guardados em um saco fechado e em local protegido, o mais longe possível do chão e de lugares que possam ser invadidos pela água. Os aparelhos elétricos devem ser desconectados das tomadas para evitar curtos-circuitos. Também deve-se evitar contato com cabos ou redes elétricas caídas: neste caso, a orientação é avisar a Defesa Civil.

As chuvas também podem causar deslizamentos de terras ou, ainda, rachaduras em muros e impactos na estrutura das casas. Nesses casos de emergência, os profissionais da Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis (Cosedi), vinculados à Defesa Civil, podem ser acionados, também via 199.

“E depois, dias após a chuva, caso sejam detectadas rachaduras na estrutura, a Cosedi também pode ser acionada, mas aí pelo telefone 156”, esclarece Santos.

Divulgação/Defesa Civil de Curitiba

Imprimir

Guarda Municipal atendeu dez ocorrências por dia na Operação Natal

em Sexta, 05 Janeiro 2018 15:47. Postado em Notícias

As equipes da Guarda Municipal de Curitiba que intensificaram o patrulhamento pela região central da cidade nas últimas semanas do ano - durante a Operação Natal - atenderam, em média, dez ocorrências por dia.

“Foi um período tranquilo, durante o qual os guardas municipais reforçaram o patrulhamento preventivo, garantindo tranquilidade para o cidadão nos locais em que, por conta do movimento das agências bancárias e do comércio, havia maior aglomeração de pessoas, como na Rua XV de Novembro”, avalia o diretor-geral da Guarda Municipal de Curitiba, Odgar Nunes Cardoso.

Foram 36 dias de operação e 30 casos de roubo - 15 a pedestres, nove deles envolvendo o transporte coletivo e outros seis a estabelecimentos comerciais. As equipes da Guarda Municipal também atenderam nove ocorrências de furto, registrados no comércio, com veículo, em patrimônio público e contra pedestres, além de uma tentativa de furto e uma de arrombamento.

No mesmo período, a Guarda Municipal atendeu 25 ocorrências de dano, sendo três arrombamentos, oito de vandalismo, sete de tumulto e outros sete relativos a desordem.

Abordagens relacionadas a substâncias ilícitas somaram 50 registros, entre uso de entorpecentes - 34 casos; tráfico de drogas - 15 casos e porte de droga - um caso. Houve cinco situações de tentativa de invasão ao transporte coletivo e outras seis ocorrências de perturbação do sossego. Foram feitos cinco atendimentos de casos de atos libidinosos e um de assédio sexual.

Novo reforço
A partir deste sábado (6/1), a Guarda Municipal volta a reforçar a segurança pela cidade. Desta vez, o aumento do efetivo será verificado principalmente nos finais de semana, em grandes parques da cidade, com o início da Operação Verão Curitiba.

Valdecir Galor/SMCS

Imprimir

Atos de vandalismo em escolas e CMEIs devem ser denunciados pelo 153

em Quinta, 04 Janeiro 2018 17:09. Postado em Notícias

A população que vive perto das escolas e centros municipais de educação infantil (CMEIs) de Curitiba pode contribuir para que no período de férias as unidades educacionais estejam protegidas da ação de vândalos. O apoio da comunidade é importante para que a Guarda Municipal e a polícia possam agir rapidamente quando for necessário proteger os espaços de educação da cidade.

Além do telefone 153 da Guarda, é possível ligar para a empresa G5, contratada pela Secretaria da Educação para o serviço de monitoramento interno (áreas cobertas por sensores) das unidades. O telefone é 3045 7940.

Segundo a diretora do Departamento de Logística da Educação, Maria Cristina Brandalize, os atos de vandalismo acarretam diversos prejuízos às unidades. “Além dos custos com manutenção e limpeza, eles causam insegurança à comunidade escolar. Por isso, é importante a colaboração da população para cuidar das unidades, informando a Guarda Municipal em casos de movimentações suspeitas nos locais”, alerta Maria Cristina.

A Guarda Municipal de Curitiba faz um trabalho permanente de patrulhamento para evitar a degradação do patrimônio. "Também contamos com um reforço específico de guardas municipais em diversas escolas para conter esse tipo de delito", informa o diretor-geral da Guarda Municipal, Odgar Nunes Cardoso.

Trabalho coletivo

Em 2017, a equipe do Centro Municipal de Educação Infantil Novo Horizonte, no Sítio Cercado, iniciou o ano com um debate sobre a reorganização do espaço externo do CMEI com as famílias. O local era constantemente vandalizado.

“Em nossa primeira integração com as famílias, decidimos revitalizar esse espaço com as produções das crianças. Colocamos também brinquedos de madeira no gramado, fizemos pinturas nos muros e nos solários para a melhoria do ambiente, tudo com a participação das famílias. O espaço das crianças ganhou reforço da comunidade para ser preservado e cuidado. Recorremos ao 153 para denúncia de ações suspeitas”, afirma a pedagoga Daniele Sari.

Com os recursos descentralizados que todas as unidades recebem, o gasto com reparos e recuperação dos espaços vandalizados poderia ser revertido para aquisição de material didático, brinquedos, livros, equipamentos, móveis e manutenção.

“Trabalhamos a questão do vandalismo nas unidades e com as associações de pais, professores e funcionários e comunidades. A fiscalização do coletivo é um caminho certeiro no combate ao vandalismo”, reforça Maria Cristina.

Imprimir

Cartão verde do Estar agora pode ser utilizado também para carga e descarga

em Quarta, 03 Janeiro 2018 16:45. Postado em Notícias

O talão verde do estacionamento regulamentado (EstaR) agora também pode ser utilizado pelos motoristas que usam veículos de carga e descarga, com peso de 1,8 até 7 toneladas, nas vagas com esta destinação exclusiva.

A medida, que tem o objetivo de facilitar o uso e também a regularização pelos motoristas, é embasada pela portaria nº 18 da Superintendência Municipal de Trânsito (Setran).

A diferença para os veículos de passeio, que já utilizam o mesmo cartão nas vagas destinadas a eles, é a quantidade de folhas de EstaR: nas vagas sinalizadas de estacionamento para até uma hora, o usuário da vaga de carga e descarga deverá preencher dois cartões verdes, conforme instruções do verso, de maneira idêntica na marcação de hora e minuto.

Nas vagas de até duas horas, o usuário da carga e descarga deverá preencher quatro cartões (dois para cada hora). Vale ressaltar, que motoristas com veículos de carga e descarga vão continuar podendo estacionar somente nas vagas identificadas como carga e descarga. A única mudança é na possibilidade de usar o cartão normal do EstaR.

“A Caixa Econômica Federal foi informada sobre a migração para o bloco comum, em substituição ao específico de carga e descarga, para ciência de todos os funcionários da rede lotérica”, explicou a superintendente de Trânsito de Curitiba, Rosangela Battistella.

Como era antes

Até então, havia um cartão específico para utilização das vagas de carga e descarga, na cor laranja. Esses cartões laranjas continuam vigentes e podem ser utilizados de acordo com a sinalização das vagas destinadas para este fim.

“Os agentes de trânsito estão orientando os motoristas neste momento de transição, para esclarecer eventuais dúvidas. Vale lembrar que a alteração é apenas para utilização dos cartões, sem alteração nas vagas em si destinadas exclusivamente para carga e descarga”, acrescenta Battistella. Os horários do estacionamento regulamentado para vagas de carga e descarga são entre  9h e 19h.

Pedro Ribas/SMCS