Imprimir

Grupo trabalha para mudar comportamentos errados no trânsito

em Quinta, 01 Março 2018 19:58. Postado em Notícias

A falta do uso de assento apropriado para transporte de crianças e o estacionamento irregular próximo a unidades de ensino foram alguns dos comportamentos observados nos últimos dias pelas equipes do Grupo Trânsito Seguro. Integrantes da Superintendência de Trânsito (Setran), do Detran Paraná e das polícias Militar e Rodoviária Federal, além de organizações da sociedade civil, estão percorrendo unidades públicas de ensino no período de volta às aulas para orientar estudantes e pais que levam ou buscam os filhos a pé ou de carro.

Um dos casos verificados em frente à Escola Municipal São Luiz, no bairro Água Verde, durante o horário de saída das aulas da manhã, foi o de um motorista que ia transportando irregularmente o filho menor, de sete anos, que deveria estar posicionado sobre um assento de elevação. Com duas crianças dentro do carro, ele tinha acabado de receber o material educativo de uma representante da Escola Pública de Trânsito (EPTran), Patrícia Bastos, que observou a irregularidade.

Por lei, é obrigatório o uso do equipamento para crianças com até sete anos e meio ou, se mais velhas, que não tenham atingido a estatura mínima para garantir a passagem do cinto sobre o ombro e longe do pescoço. “O equipamento precisa estar instalado na hora do embarque da criança. Se o motorista deixar pra fazer isso na hora, provoca um caos no trânsito”, diz Patrícia.

Minutos antes, uma gestante que havia estacionado o carro na faixa amarela contínua pintada em frente à escola recebeu pessoalmente a infração de um agente de trânsito. “Sei que estou errada, mas não tinha onde parar o carro”, admitiu a mulher.

Mãe e filha, Marlene e Luana Aparecida Matias da Luz, levam e trazem duas crianças da escola todos os dias. Sabem que é complicado parar o carro na rua da escola e nem por isso estacionam em local proibido. “A gente vem com o meu marido. Como hoje não tinha onde parar, ele nos deixou na Avenida Água Verde e vai ficar circulando até a gente pegar os meninos e aparecer na esquina”, contou Luana, recebendo os folhetos com dicas para andar em segurança perto da escola.

“É pra ajudar os adultos a se corrigirem, e também evitar que tenhamos os motoristas de amanhã repetindo os erros dos de hoje, que fazemos o nosso trabalho educativo e preventivo”, resumiu o diretor da EPTran, Ricardo Klinger, que acompanhou a ação.

Futuros motoristas, pedestres conscientes

Na regional Portão, além da Escola São Luiz, o grupo também conversou com estudantes do ensino médio do Colégio Estadual Pedro Macedo. “É muito bom porque alguns deles fazem coisas na rua que, contando, ninguém acredita”, disse a professora de Matemática Elis Regina Pereira. Caminhar pela canaleta exclusiva de ônibus e brincar de empurrar os colegas que aguardam para atravessar a movimentada Avenida República Argentina, onde fica o colégio, são algumas delas. “Eles não fazem ideia do perigo que estão correndo”, completou.

Matheus Yan Santiago, de 14 anos, admite que se expõe a outro tipo de risco. “Não gosto de usar cinto de segurança. Esqueço de pôr. Pode ser que, a partir de agora, eu mude”, contou o adolescente, depois de ouvir a mensagem da equipe. O colega de classe Mateus Tamanini, de 15 anos, disse que ficou interessado em tudo o que ouviu. “Logo eu vou estar dirigindo, então é importante pensar sobre segurança. Quem dirige também anda a pé e tem outras pessoas por perto. A segurança é para garantir a vida de todos”, disse.

A atividade contou com observadores de outra cidade: a equipe do secretário de Mobilidade e Defesa Social de Aparecida de Goiânia (GO), Luziano da Costa Vale, que ajudou nas palestras de sensibilização e acompanhou a abordagem educativa. “Temos muito interesse em conhecer como Curitiba, que é uma referência no Brasil, trabalha. É o que queremos para nós”, respondeu.

Foto:Luiz Costa/SMCS

Foto:Luiz Costa/SMCS

Foto:Luiz Costa/SMCS

Foto:Luiz Costa/SMCS

Imprimir

Guardas municipais reforçam programa de prevenção contra as drogas

em Quinta, 01 Março 2018 19:13. Postado em Notícias

A Guarda Municipal de Curitiba é a primeira do Brasil a integrar o programa internacional Famílias Fortes, para prevenir o consumo de drogas entre crianças e adolescentes de 10 a 14 anos e famílias.

Até a semana que vem, representantes da corporação nos dez núcleos regionais da Defesa Social participam das duas primeiras etapas do curso, concebido para orientar o trabalho que cada um poderá desenvolver junto às comunidades. “Segurança pública também se faz com prevenção e é isso que queremos ao integrar esse esforço”, disse o diretor do Departamento de Políticas sobre Drogas da Secretaria Municipal da Defesa Social, Cristiano de Bastiani, durante o curso, que acontece na Fundação de Ação Social (FAS).

"A participação da Guarda Municipal é importante porque potencializa as ações de prevenção ao uso de álcool e outras drogas nos territórios, alinhando conceitos e práticas em prol da comunidade", explicou a técnica em Prevenção do Departamento de Atenção Primária à Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde, Flavia Regina Silva.

Ao lado de profissionais do Departamento de Políticas Sobre Drogas, da Secretaria Municipal da Saúde e da FAS, Flavia integra o grupo de seis formadoras locais, habilitadas pelo Ministério da Saúde para capacitar e acompanhar os profissionais facilitadores dos programas, que compõem o Sistema de Prevenção ao Uso de Álcool e Outras Drogas do Ministério da Saúde, no município de Curitiba.

Expectativa

Há 12 anos na Guarda Municipal, Marcelo Tomaz está ansioso para começar a planejar ações para os moradores do Boqueirão, onde ele trabalha. Tomaz coordena o programa Guarda Municipal Mirim na região, que reúne 64 crianças de 9 a 11 anos da Escola Municipal Professora Tereza Matsumoto, ao lado do bosque Reinhard Maack, e que podem ser envolvidas no novo programa. “Quanto mais pudermos fazer para que as crianças não tenham contato com qualquer tipo de droga, mais válido será o nosso trabalho”, disse o guarda.

A partir do curso, que termina na próxima quarta-feira (7/3), os envolvidos traçarão estratégias para sensibilizar crianças, adolescentes e famílias que circulam pelos espaços onde eles trabalham. Com base na reflexão sobre o papel de cada um na qualidade do relacionamento familiar, a meta é fazer com que pais e responsáveis ajudem os jovens a superar situações com potencial para levá-los ao uso de drogas.

Ricardo Marajó/FAS

Ricardo Marajó/FAS

Ricardo Marajó/FAS

 

 

 

Imprimir

Secretário da Defesa Social participa do Smart City Expo Curitiba 2018

em Quinta, 01 Março 2018 17:55. Postado em Notícias

Usar cada vez mais as informações geradas pelo poder público e pela população (Big Data) e aumentar o engajamento dos moradores na tomada de decisões públicas. Esses são os grandes desafios para que uma cidade se torne mais “inteligente”, unindo o humano aos benefícios da era digital.

A avaliação foi feita durante o painel “Governando cidades em uma sociedade digital: Estratégias para cidades inteligentes”, que reuniu, na quarta-feira (28/2), no Smart City Expo Curitiba 2018, dois dos principais especialistas do mundo em cidades inteligentes e que contou com a participação do secretário municipal da Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel.

O secretário da Defesa Social e Trânsito mostrou como a Prefeitura de Curitiba está buscando aliar o humano e a tecnologia na melhoria de um dos grandes problemas das cidades brasileiras: a segurança.

“Integração e otimização são as melhores armas para aumentarmos a segurança da população”, afirmou. Ele anunciou que o município tem um projeto de instalar 600 câmeras por toda a cidade e que também buscará integrar as câmeras privadas às dez centrais de controle existentes hoje.

“São propostas que não acabam com o crime, mas ajudam a trazer uma resposta muito mais rápida para as demandas da população. Com o monitoramento por câmeras, criamos uma muralha digital”, argumentou Rangel.

Transformação
Agustín Suárez, diretor-geral de Gestão Digital da cidade de Buenos Aires (Argentina) e responsável pelo Mapa Interativo de Buenos Aires, defende que a tecnologia seja uma aliada para o desenvolvimento das cidades.

Segundo ele, literalmente, está nas mãos da população (os smartphones e outros gadgets) um dos grandes instrumentos para fazer esta transformação. “Para integrar elementos tão grandes na vida de uma sociedade, como pessoas, economia, meio ambiente, governo e mobilidade, o uso da enorme quantidade de dados que produzimos por esses gadgets será imprescindível”, disse Suárez.

“Entender melhor o trânsito de uma cidade e as mudanças de comportamento dos usuários passa pela coleta eficiente de dados para criação de ferramentas interativas que conectem os cidadãos”, completou o especialista.

Frans-Anton Vermast, consultor de estratégias de planejamento urbano do Amsterdam Smart City e um dos maiores especialistas em soluções urbanísticas e tecnologias para tornar as cidades mais inteligentes, avalia que é preciso que a população tenha um papel ainda mais forte nas decisões tomadas pelas cidades.

“Não adianta apenas termos tecnologias. É preciso que os moradores e os governos busquem uma maior presença popular nas tomadas de decisões. O homem precisa ser o centro de uma smart city para que a cidade realmente possa fazer as mudanças que trarão benefícios para todos os seus moradores”, observou.

Também participaram do painel Edvaldo Nogueira, prefeito de Aracaju (Sergipe); e Marcos Henrique Marçal Camillo, gerente assistente de superintendente da Copel Distribuição S.A. O moderador foi André Gomyde, presidente da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas.

Smart City
Promovido pela primeira vez no Brasil, o Smart City Expo Curitiba 2018 reúne cerca de cinco mil pessoas, entre representantes do setor privado, órgãos de administração pública, instituições acadêmicas e centros de pesquisa, incubadoras e corporações, além de empresários e investidores do Brasil e de diversos outros países.

A visita à feira do Smart City é gratuita, mas é preciso credenciamento para conhecer os expositores. Já o acesso à área do congresso ocorre mediante inscrição e compra de passaporte.

Serviço
Smart City Expo Curitiba 2018
Data: 28 de fevereiro e 1º de março
Horário: das 8h30 às 19h30 (quarta) e das 8h30 às 18h30 (quinta)
Local: Expo Renault Barigui, Rua Batista Ganz, 430, Santo Inácio (Parque Barigui).
Mais informações, inscrições e compra de passaporte para o congresso no www.smartcityexpo

Michel William/ Smart City Expo Curituba 

Michel William/ Smart City Expo Curituba 

Divulgação/SMDS

Divulgação/SMDS

Divulgação/SMDS

 

 

 

 

Imprimir

Show do Foo Fighters provocará bloqueios no entorno da Pedreira

em Quinta, 01 Março 2018 17:16. Postado em Notícias

Ruas próximas à Pedreira Paulo Leminski terão interrupção no fluxo de veículos a partir das 12h desta sexta-feira (2/3), por conta da apresentação da banda de rock estadunidense Foo Fighters, que ocorrerá à noite.

Os bloqueios ocorrerão nas ruas Eugênio Flôr, a partir da Rua Martin Kaiser até a Maria Bauer Siegmund, e na João Gava, até a rua Enéas de Sá. Já a Rua Antônio Krainski não terá passagem de veículos até o cruzamento com a Benedito Correia de Freitas.

Agentes da Superintendência de Trânsito (Setran) estarão em todo o perímetro para orientar os motoristas. Os portões da Pedreira abrem às 16h, com a primeira apresentação da noite, da banda Queens Of The Stone Age, marcada para as 19h. O grupo Foo Fighters deve subir ao palco a partir das 21h.